Evangelho segundo S. Mateus (6, 1-13)

Terça, 23 Fevereiro

Primeiro. Coloque-se diante da presença de Deus, com uma breve oração. Invoque o Espírito Santo e deixe-se guiar durante o tempo deste exercício espiritual. Leia a leitura correspondente ao dia, se possível em voz alta, devagar e atendendo às palavras.

Segundo. Perceba o que Deus lhe quer dizer. Sublinhe ou escreva algumas palavras ou frases da passagem bíblica lida e que tenham ecoado no seu coração. Repita as mesmas palavras ou frases, como se as tivesse a decorar.

Terceiro. Dirija algumas palavras a Deus a partir dos temas ou dos acontecimentos que o momento anterior trouxe ao coração. Fale a Deus da sua vida, das pessoas e dos afazeres, das alegrias e das tristezas segundo o que a palavra de Deus lhe suscita na alma. Ou em silêncio faça companhia a Jesus.

Quarto. Parta do que Deus Lhe disse e do que o seu coração disse a Deus e estabeleça uma meta ou retire um propósito que traduza em acção o que Deus lhe inspirou neste tempo de oração.

Por fim, agradeça a Deus todos os bens da sua vida, renove a disposição para lutar pela Santidade e confie à Mãe do Céu as súplicas que traz na sua alma.

Mt 6, 1-13

1*«Guardai-vos de fazer as vossas boas obras diante dos homens, para vos tornardes notados por eles; de outro modo, não tereis nenhuma recompensa do vosso Pai que está no Céu.2*Quando, pois, deres esmola, não permitas que toquem trombeta diante de ti, como fazem os hipócritas, nas sinagogas e nas ruas, a fim de serem louvados pelos homens. Em verdade vos digo: Já receberam a sua recompensa. 3Quando deres esmola, que a tua mão esquerda não saiba o que faz a tua direita, 4a fim de que a tua esmola permaneça em segredo; e teu Pai, que vê o oculto, há-de premiar-te.»
5«Quando orardes, não sejais como os hipócritas, que gostam de rezar de pé nas sinagogas e nos cantos das ruas, para serem vistos pelos homens. Em verdade vos digo: já receberam a sua recompensa. 6Tu, porém, quando orares, entra no quarto mais secreto e, fechada a porta, reza em segredo a teu Pai, pois Ele, que vê o oculto, há-de recompensar-te.
7*Nas vossas orações, não sejais como os gentios, que usam de vãs repetições, porque pensam que, por muito falarem, serão atendidos. 8Não façais como eles, porque o vosso Pai celeste sabe do que necessitais antes de vós lho pedirdes.»
9«Rezai, pois, assim:
‘Pai nosso, que estás no Céu,
santificado seja o teu nome,
10venha o teu Reino;
faça-se a tua vontade,
como no Céu, assim também na terra.
11Dá-nos hoje o nosso pão de cada dia;
12perdoa as nossas ofensas,
como nós perdoámos a quem nos tem ofendido;
13e não nos deixes cair em tentação,
mas livra-nos do Mal.’