«Mas afinal, quem sou eu?»

Testemunho do Afonso Branco Duarte

Para mim, durante muito tempo, falar de vocação era falar de algo vago, de uma realidade pregada a grandes multidões, mas sem qualquer referência a uma relação pessoal e única com Deus. Alegro-me por dizer que estava tremendamente enganado. Na verdade, queria proteger a minha identidade e os meus sonhos de certos “chamamentos” que considerava arriscados e sem garantias de sucesso.

Acabei por perceber que só seria capaz de compreender o meu lugar no mundo e na Igreja se olhasse para a minha vida e para as vidas daqueles que me rodeiam com o olhar de Cristo. Encontrei-O, sobretudo, na vida sacramental, na oração e na direção espiritual. Deste modo, redescobri o que era viver com Jesus e, guiado pela Virgem Maria, encontrei a alegria de viver para Ele.

             «“Mas afinal, quem sou eu?” Podes passar a vida inteira a questionar-te, procurando saber quem és. Mas a pergunta que te deves colocar é esta: “Para quem sou eu?” –  És para Deus, sem dúvida alguma» (Papa Francisco, Christus vivit, 286). Que alegria é poder ser de Deus e vivê-lo numa comunidade de sacerdotes e de seminaristas que querem fazer das suas vidas um lugar de entrega radical a Nosso Senhor e à Santa Igreja. Ainda hoje me admiro por acordar no Seminário; ainda hoje tento compreender a dimensão da vocação para a qual posso vir a ser chamado. Contundo, mesmo no meio de tanta perplexidade, posso dizer que todo o meu percurso como seminarista tem sido um feliz aprofundamento desta resposta que o Santo Padre nos apresenta e que eu trago bem presente no coração: Sou para Deus, sem dúvida alguma.

            Estou profundamente grato a todos aqueles que vivem, trabalham e rezam nesta nossa Paróquia. Reconheço hoje o modo como Nosso Senhor Se serviu de muitos deles para que aprendesse o verdadeiro sentido da vocação.

            Peço-vos que rezem por mim e por todos os seminaristas, para que sejamos sempre instrumentos nas mãos de Deus, prontos para O seguir para onde quer que Ele vá.

Seminário dos Olivais, 23 de abril de 2021